Cadáver


Eduardo Campos, enterrado como uma espécie de mártir fotogênico, acaba de ser ressuscitado numa nova operação da Polícia Federal, onde nem defunto escapa.
A ver com esquema criminoso envolvendo R$ 600 milhões, supostamente usados na eleição dele em Pernambuco.