De fora


“Olha, o Amapá realmente não é beneficiado. Dívidas contraídas no governo passado, 90 por cento delas não foram renegociados. Empréstimos no BNDES e CEF, este último para a federalização da CEA, não foram alcançados.”