Dificuldades


“Esperamos que a União olhe com mais carinho para as dívidas com o BNDES. No caso do Amapá, continuaremos com grande prejuízo e sem poder equilibrar nossas contas”, apela Waldez.