Trabalho escravo


Risonilson Barros (Sinditaxi): “Há uma lei municipal que foi vetada pela prefeitura, mas posteriormente foi promulgada pela própria Câmara, que não permite esse transporte alternativo; apesar de argumentarem que essa lei é inconstitucional, ela está em plena vigência; o Uber, inclusive, está sendo investigado pelo MPF, acusado de trabalho escravo”.