Periculosidade


Piaba, por conta dessa tal ‘conversa’ com o presidente Macron, ‘lorota’ ou não, passou a constar nos autos da PF como “um homem extremamente perigoso e influente nas Repúblicas” —leia-se, Brasil-França.