A renúncia



O que Papaléo disse na carta, entregue ao prresidente Kaká, na Alap, em que renuncia a vice-governadoria do Estado:

”Trata-se de uma decisão um tanto quanto difícil de minha parte.”
Papaléo, vice-governador

“Estamos aprendendo a conviver com as práticas democráticas e não devemos permitir que a palavra proferida […] seja somente falácia, que acaba violando pressupostos básicos da política.”
Papaléo, vice-governador

“[…] Ao mesmo tempo em que rompe o dever de solidariedade, vínculo ético que deve unir todos os agentes públicos.”
Papaléo, vice-governador

“Uma vez rompido esse compromisso não resta outra coisa senão uma tomada de decisão severa para certificar a indignação.”
Papaléo, vice-governador

“A decisão de renúncia que comunico ao Poder Legislativo, de fato não era a minha vontade, porém agora não me resta outra decisão.”
Papaléo, vice-governador

“ […] Agradeço sinceramente a cada um em particular pelo apoio recebido durante o período que ocupei o honroso cargo de vice-governador do querido Estado do Amapá.”
Papaléo, vice-governador