Prefeiturável



“Bem ou mal apoiado, só com o exibir dos próximos capítulos, mas reafirmo: serei, sim, candidato à sucessão municipal, ano que vem”, diz Paulo Lemos, do PSol.


Histórico

Dos três últimos prefeitos de Macapá —JH, RGóes e Clécio, apenas Góes não foi a um 2º mandato na prefeitura, apesar de muito bem votado na corrida pela reeleição, mais de 90 mil votos.


Setentrião

Ainda no centro do tablado, Clécio, depois de fechar 2º mandato ano que vem, passa dois anos estudando e, ao mesmo tempo, ciscando pra dentro politicamente.

Ele não nega planos pela sucessão de WGóes, em 2022.


Bola murcha

Pelo cheiro da brilhantina, futebol amapaense, levando peia de tudo e todos, até dos ruins roraimenses, tão cedo não se bota de pé, em condições de acessar categoria superior no Brasileirão —um sonho sempre sonhado.

Triste, triste, triste…


Ensino

 

Clécio contabilizou aplausos inclusive da secretária Goreth, da educação estadual, na inauguração da EMI Mundo das Crianças, terça 28, no Pacoval.


Convidada

Do tablado de WGóes, Goreth (Seed) estava ali a convite da colega Sandra Casimiro (Semed), com quem comunga mesmo pensamento sobre educação.


Mãos dadas

“Aluno, antes de tudo, tem de ser preocupação de todos nós, seja estado ou município”, disse Goreth ao discursar no evento do prefeito Clécio, da Rede.


Agora vai 

Kaká Barbosa e Paulo Lemos, enfim, homologaram terça, 28, projeto básico administrativo do concurso da Alap, em Macapá.


Nos conformes

“Agora estamos prontos e, de imediato, vamos iniciar o processo de contratação da empresa que realizará o concurso”, comemora Lemos.


Fuga

Jozi Araújo e mais 2 presidentes de sindicatos, alvos na Operação Sindicus, e sob preventivas, são consideradas foragidos.


Cana

O trio tem mandado de prisão preventiva em aberto desde a deflagração da Operação Sindicus, na terça 28.


Esquema

A atuação conjunta PF/MPF busca desarticular organização criminosa chefiada pela ex-parlamentar para novamente assumir controle da Fieap, utilizando sindicatos fantasmas.


Continência

Bolsonaro tem de usar ‘quepe de capitão’, diz Simone Tebet, a atual presidente da CCJ no Senado, registra O Antagonista.


Desembarque

Randolfe disse na UOL que Sergio Moro deveria pedir demissão, depois do ‘adeus’ ao Coaf, consolidado no Senado na terça 28.


Cartas marcadas

“Houve um acordo de Bolsonaro com o PT e Centrão pra impedir votação aberta no Senado”, testemunha Rodrigues.


Cochicho

“O presidente Bolsonaro nunca teve interesse em que o Coaf ficasse na Justiça”, pontua Randolfe.


Cai fora

E conclui: “O Sergio Moro foi o grande derrotado nessa história. Devia pedir demissão”, adita Randolfe.