Risco



‘Eu acho que ele (Bolsonaro) está colocando todas as cartas na ameaça do caos. E isso, na realidade, aumenta os problemas que nós vivemos, porque desapareceram as utopias e nós não podemos matar a esperança’, supõe Sarney.

E as crises que o Brasil vive?, pergunta o Correio Braziliense.
“O Brasil vive uma crise sem partidos, porque quando temos 60 partidos, entramos na lei do Montesquieu, que diz que quando temos muitos partidos, não se tem nenhum”, responde Sarney.

E a classe política?
“Nós, também, estamos com uma classe política vivendo a crise da democracia representativa, isso é no mundo inteiro, os políticos estão demonizados. E a busca do povo é partir para uma democracia direta, sem representantes”, opina o ex-presidente.

Como avalia esse sistema político?
“Não avalio. Não dá para avaliar porque existe. Ele foi destroçado”, pontua Sarney.

Como vê a relação do governo com o parlamento hoje?
“A política é a arte do possível. Eu acho que tem que se lidar com realidades, e a realidade atual é que o presidente não tem maioria consolidada dentro do Congresso, nem nós temos hoje partidos, nem lideranças políticas, e vivemos uma crise muito grande.”

Incertezas
“Eu acho que tem que se lidar com realidades, e a realidade atual é que o presidente não tem maioria consolidada dentro do Congresso, nem nós temos hoje partidos ou lideranças políticas, e vivemos uma crise muito grande”, adita o ex-presidente ao Correio Braziliense.