Prestígio



Sarney, que deixa o Senado em fevereiro, mas não perde influência política,
vai continuar morando em Brasília e, ao mesmo tempo, conservando
ponte aérea com o Amapá.