Insuficiência renal



 

Enquanto noutros estados taxa varia entre 5 a 10%, no Amapá aumento de renais crônicos já chega a 20% —crescimento atribuído a diabéticos e hipertensos, aqueles mais descuidados com o controle das doenças.