STJ



Reta final
A Corte Especial do STJ decidirá este mês o futuro do desembargador e ex-corregedor do Tribunal de Justiça do Amapá, Constantino Brahuna. Antes da Páscoa, a vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, ofereceu ao tribunal denúncia contra o magistrado e pediu o seu afastamento do Judiciário. Ele está suspenso liminarmente desde novembro, por portaria do ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Conselho Nacional de Justiça. Não pode ir ao tribunal e nem usar carro oficial. Sob Brahuna pesam várias acusações como vazar informações em processo sigiloso, tentativa de interferência no trabalho de magistrados e retaliações contra juízas substitutas que depuseram contra ele na investigação do CNJ.