Sujeira



Patrícia Brito (Caesa) justifica a falta de água em Macapá por 13 horas nesta quinta: reservatórios, imundos, não são lavados desde 2009.