Mãos limpas



“Esses agentes públicos, conforme provas documentais que possuímos (de 2006 a 2010), recebiam o dinheiro e não realizavam o serviço”, destacou o procurador Benjamin Lax (MP) no ‘Togas e Becas’, deste sábado (16).
Pano pras mangas.