Paralisação



Capitaneados pelo presidente Aroldo Rabelo (Sinsepeap), servidores da educação decidem em Assembleia se entram em greve geral já a partir da segunda (4).
Contra parcelamento salarial e por acordos de reajustes não cumpridos.