Eclésia



Moisés e Edinho sofreram mais um revés no Tjap: foram condenados em mais duas ações propostas pelo MP/AP.
Com voto de minerva de Sueli Pini, pegaram 13 anos e 5 meses de prisão, em regime fechado.
Mas ainda cabe recurso ao STJ.