De mal



Por feridas abertas em 2010, época do estouro da Operação Mãos Limpas, até hoje WGóes e Lucas Barreto ainda estão tipo água e azeite, ou seja, como líquidos que não se misturam.