Assassinato



Paulo Campelo (presidente) e Maurício Pereira (CDH) da OAB acusam policiais militares de homicídio qualificado contra vigilante da instituição.
Segundo eles, PMs tentaram, ainda, subtrair provas do crime, cujas imagens já estariam com a PF.