“O Amapá merece compensação financeira por ser o estado mais preservado do país”, diz ministro



 

Os constantes apelos feitos por todos os segmentos da sociedade, para que o Amapá seja recompensado por ser o estado mais preservado ambientalmente do país, encontraram eco por ocasião da vinda do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, ao Amapá.

Sarney Filho reconheceu a importância do Amapá por suas ações firmes voltadas para o setor. E prometeu injetar recursos inclusive internacionais, como forma de compensação financeira, porque, segundo ele próprio, o estado é o que menos devasta a floresta. Tanto que possui a maior cobertura vegetal do país.

Este é o momento oportuno para que integrantes da bancada federal se unam ao governador Waldez e aos prefeitos, para que a promessa feita pelo ministro não sejam ofuscadas pela inércia. Principalmente porque essa política de preservação é feita em detrimento da exploração de riquezas naturais inestimáveis, o que impede o nosso estado de crescer.

O contexto mostra, porém, que agora, os ventos estão sendo favoráveis. É tempo de trabalho e de união de esforços, para que o Amapá não seja apenas exemplo de preservação da floresta, mas, também, de desenvolvimento e de responsabilidade social, através de políticas públicas capazes de torná-lo protagonista do desenvolvimento nacional, garantindo emprego e renda para um povo que, exatamente por causa do ostracismo da classe política, vive à mercê de migalhas do governo federal.

E não estaremos pedindo favor. É a compensação financeira justa e devida, por estarmos fazendo bem feito o nosso dever de preservar ambientalmente o país.