Clarificação



“O governo sentiu a necessidade de clarificar o decreto anterior pra garantir que a proibição não havia sido revogada. Houve muita confusão. Podia gerar a impressão que estávamos flexibilizando a norma, havendo necessidade de ficar mais claro, deixar bastante firme a posição”.
Sarney Filho, ministro