Fora



A União alerta para risco de estados quebrarem por alto gasto com pessoal, “mas com exceção de Pará, Paraíba, Amapá e Espírito Santo, que ainda mantém equilíbrio nas contas”, registra Tesouro.