Tanto faz



Segundo Maurício (OAB), “direitos humanos têm que ser respeitados”, seja de criminosos ou de sem-teto.
“Dignidade do ser humano acima de tudo”, adita.