Laudo



Segundo laudo da Politec, o cacique Emyra Waiãpi morreu afogado, ‘sem sinais de enforcamento e perfurações sobre o corpo’. E com base nisso, cai  versão de assassinato, a partir de suspeita levantada pelo vereador indígena Jawaruwa, da Rede, em PB do Amapari.

O caso repercutiu mundo afora, depois que defensores dos direitos humanos passaram a cobrar maiores esclarecimentos.