Pouco caso



Ministro Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, foi à loucura quando soube que, com o presidente Macron (França) na linha de frente, WGóes, do Amapá, teria sido convidado para falar no encontro da ONU, nos EUA, em vez de Bolsonaro.

Conseguiu barrar fala de WGóes, mas não evitou a repercussão por conta da imprensa brasileira, na cobertura do evento.