Caixa



Coordenadora da campanha que levou Zezinho Tupinambá a um assento na Alap, dona Juracidélcia Azevedo Pereira é apontada por testemunhas, em processo no TRE-AP, como quem pagava eleitores corruptos para votarem no então candidato.