Aliança



Fechado: PMDB e PDT seguem de mãos dadas na eleição municipal em Mazagão.
Marmitão, se quiser, será o vice de Dilson Borges, mas desistindo, como já admite, indica ou Edielson ou Guarabixaba.

Rusga



Contraditoriamente ao dito aqui, paipai Rosemiro descarta posar de ‘manto protetor’ do filho Robson, na eleição de outubro em Santana.
Mas escanteou sobre já estarem de novo com relações arranhadas.

Sentimento



Segundo relatos de mais próximos, Lula chorou por três vezes durante votação do impeachment de Dilma, domingo.
Na outra ponta do sofá, a presidenta não derramou um pingo de lágrima sequer.

Vergonha



Joaquim Barbosa (ex-STF) criticou votação do impeachment de Dilma na Câmara, domingo.
Não o mérito, mas, sim, o comportamento dos deputados durante a sessão.
Faz sentido.

Transferência



MP pede que CEA observe requisitos legais de Acordo GEA/Eletrobrás, e Conselho, também por ausência de alguns membros, decide adiar posse de novos diretores, prevista para hoje.

Capa



Rosto do DA de papel dessa terça, 19.
Veja!!!

PT precisa olhar Pepe



Elio Gaspari

Colunista da Folha de S.Paulo

Quando foi que o PT perdeu o caminho de casa?

Talvez em 1997, quando Lula chamou de “asneiras” as denúncias de que havia roubalheiras em contratos de firmas de consultoria com prefeituras petistas. Desde então, Lula e o comissariado fizeram uma opção preferencial pelo acobertamento e pela cumplicidade em todos os episódios em que a moralidade foi ofendida. Foi assim com as propinas que provocaram a morte do prefeito Celso Daniel, assim foi no “mensalão” e assim o PT se comporta diante da Lava Jato.

Há um mantra em circulação: a honorabilidade pessoal de Dilma Rousseff está acima de qualquer suspeita. É verdade, mas pode-se aplicar o mesmo raciocínio ao general Emílio Médici (1969-1974). Ele foi um homem pessoalmente honrado. A ruína de sua biografia veio do campo da moral política. Médici nunca encostou a mão em ninguém, mas durante seu governo milhares de brasileiros foram torturados e mais de uma centena foi assassinada.

Para felicidade do Brasil, os crimes dos governantes mudaram de eixo e, durante o consulado petista, o demônio foi para o meio do redemoinho da corrupção e das suas alianças com larápios que votaram pela deposição da presidente.

Dilma era ministra de Minas e Energia quando um empresário narrou-lhe malfeitorias praticadas pela Petrobras. Ela respondeu: “Não posso me preocupar com pequenas ilegalidades”. Com o tempo, deixou de se preocupar com as grandes. Ela, Lula e o PT ficaram neutros contra a Operação Lava Jato. Esse foi um dos principais fatores de erosão da credibilidade dos companheiros. (O apoio de Temer à faxina do juiz Moro é coisa a ser conferida. Por enquanto, ele continua a ser um velho aliado de Eduardo Cunha.)

O resultado de ontem é uma derrota de Dilma, do PT e daquilo que se chama de esquerda. Como sair dessa?

Nos anos 1970, como Dilma, o uruguaio José (Pepe) Mujica estava na cadeia. Em 2010, Pepe elegeu-se presidente. Continuou vivendo na modesta chácara das cercanias de Montevidéu, dirigindo seu velho Fusca e brincando com Manuela, sua cachorra de três patas. Basta olhar para seu exemplo.

Desgosto



Passei o domingo, lendo e ao mesmo tempo com o fone de ouvidos no talo, acompanhando o Fla-Flu do impeachment.
Triste conclusão: pelo que ouvi, tem político de mais e qualidade de menos.
E aqui venho vexado para queixar-me:
É uma cruz grande demais para ser leve, mas o suficiente pra envergonhar brasileiros e brasileiras mundo afora.

Enfermidade



Radialista com quem também trabalhei, à época da Rádio Nacional AM, Humberto Moreira segue dodói das coronárias e ainda ocupando UTI no HSC, em Macapá.
É preocupante, na valiação de médicos que o assistem.
Infelizmente, amigos queridos também ficam doentes.

Bicudos



Nunca, jamais, em tempo algum botem juntos, num mesmo sofá, Edinho, Diego, Hildegard e Vinícius Gurgel.
Já são águas que não se misturam.

Desastre



Voltaram a me perguntar, hoje.
Será que Moisés ainda pode se recuperar desse novo baque?
Não sei informar.

Jugular



Segundo relatos de uma boa fonte, hoje, a PF cada vez mais se aproxima do cangote daqueles com digitais no escândalo dos títulos podres negociados pela Alap, ilegalmente.

Direito



Se moeda de troca ou não, que se apure, mas considero uma causa justa de parlamentares amapaenses a transferência de terras da União para o Estado, porque ganhamos todos.
Ao invés de barganhas egoisticamente pessoais, como fizeram uns, outros e terceiros.
Valeu!