Razão



‘A consciência da finitude nos ensina a viver’
(Irvin D. Yalom, psiquiatra e professor emérito de Stanford)