Réus



Balieiro é tido como o caso mais grave no julgamento da Operação Eclésia de amanhã, no Tjap: abocanhou, indevidamente, quase R$ 1 milhão de reembolso.
E, pior, se valendo de notas falsas para justificar gastos.
Edinho e Moisés também sentam nesse mesmo banquinho.