Covid 19



Amapá tem 8.469 casos confirmados de coronavírus, 9.759 em análise laboratorial,  e 207 óbitos.

O boletim da tarde desta sexta (29) traz 317 novos casos confirmados, sendo 52 só em Macapá.

Persistência



Clécio assinou decreto que prorroga por mais cinco dias isolamento rígido na capital.

Serviços essenciais, como supermercados, bancos, padarias e farmácias, continuam em funcionamento.

Avanço



Clécio também comemorou o fato do município registrar durante o período de lockdown a saída do nível de 40% para 60% na circulação de pessoas em bairros da cidade.

E, como em tome que está ganhando não se mexe, o ‘tranca rua’ segue sem alteração por mais 5 dias, terça que vem.

Corrupção



Sexta-feira marcada por 2 operações da Polícia Federal em Macapá. Durante a Operação Olet, a PF apreendeu R$ 33 mil na casa de um servidor da receita federal, já sob investigação por recebimento de propina em esquema de corrupção.

Batida



Polícia Federal deflagra 2ª fase da Operação Virus Infectio no Amapá.

Foram cumpridos 9 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão preventiva em Macapá (AP).

Lockdown



Com exceção no domingo (31), automóveis com placas ímpares e pares poderão circular em Macapá.

Medida será permitida para evitar que carros e motos com final de placa ímpares circulem por dois dias consecutivos na capital.

Controle



Amapá tem nota alta em ranking de transparência de dados sobre Covid-19.

Ou seja, a população também está podendo acompanhar as aplicações das verbas públicas.

Todos os dados relacionados aos investimentos no enfrentamento à covid-19 estão disponíveis no Portal da Transparência.

Dúvida



Congresso e TSE podem adiar eleições para 15 de novembro ou 6 de dezembro.

Definição da data depende das condições técnicas e de saúde, diz presidente da Câmara Rodrigo Maia.

Possibilidade



Expectativa é que comércio amapaense retome suas atividades, gradualmente, a partir da sexta-feira (5).

Anúncio foi feito tanto pelo prefeito Clécio como pelo governador Waldez, durante entrevistas no rádio e tevê.

Perda



Triste com a morte de Eduardo Contreiras, na terça-feira (22), Ivana Cei (PGJ) disse no twitter que a perda é grande por se tratar de um homem “simples, educado e humilde”, e que jamais esqueceu dos amigos, lamentou.

Vivinho



Ex-deputado, Ericláudio Alencar divulgou vídeo na quarta-feira (27) com recado aos amigos que ainda não foi dessa vez que ele partiu “dessa pra melhor”.

Para desalento dos “secadores” e fofoqueiros de plantão, ele está “vivinho da silva” —apesar de dado, nas redes, como morto e sepultado.

“Imorrível” e “inoxidável”, segundo o jornalista Paulo Silva, no seu tuíte.

De bem



Ao comentar a operação da PF determinada pelo STF contra seus aliados na quarta-feira (27), Bolsonaro lamentou o fato de que cidadãos de bem foram vilipendiados simplesmente por exercerem a liberdade de expressão.

Para o presidente, “algo de muito grave está acontecendo com a nossa democracia”.

Polivalente



Ao tomar posse como desembargador no Tjap em 2018, Eduardo Contreiras relatou sua contribuição para o judiciário amapaense desde os primórdios, no início dos anos 1990.

“Embora tenha sido designado para uma vara criminal, eu ajudava informalmente nas varas cíveis e no Tribunal do Júri”, disse na ocasião.

Pano quente



Segundo a Folhapress, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) citou o golpe de 1964 como exemplo de intervenção militar que resultou do “clamor popular”.

Para ele, é natural que o povo peça de novo a uma solução de força e que os militares entrem em cena para por pano quente na crise entre poderes.

Invenção



Ministro do GSI, Augusto Heleno recuou e afirmou à imprensa na quinta-feira (28), no Palácio da Alvorada, que intervenção militar “não resolve nada” e que tal possibilidade não é sequer cogitada. Ele disse não ter citado Celso de Mello e nenhum outro nome, e que golpe só existe na “cabeça da imprensa”.

Pois, é.