Liberação


Tork (Tjap) concedeu permissão a Manuela Bitencourt, em prisão domiciliar por condenação na Operação Eclésia, para que ela saia de casa para fazer prova na faculdade em que ela cursa ensino à distância, mas segue impedida de usar telefone e falar com terceiros.