Sumida



“E Dalvinha?”, como chamava Lula, carinhosamente.
Por onde andas, muié, que não te encontro?, perguntam fiéis eleitores de indeléveis conquistas.
“Ninguém sabe, ninguém viu”, diria o grande Cauby Peixoto, cantarolando.