No Amapá



Entre os 102 magistrados punidos, tentáculos do CNJ alcançaram um no Amapá.
Corregedor do Tjap, desembargador foi acusado de vazar informações de processos sigilosos e interferir na atuação de magistrados.
Já foi aposentado compulsoriamente.