Santinhos



Mesmo com internet escancarada, tradicionais ‘santinhos’ seguem como prioridade dos candidatos, superando até gastos com programas de Rádio e TV.
Representam nada menos que 56% das despesas de campanha.
Dinheiro jogado fora, porque lugar de ‘santinho’ nem tão ‘santinho’ é no lixo.