Esperança



Meu desejo de consumo.
Que em 2016, verdade e vergonha na cara se façam graúdas.
E que ninguém, mesmo aqueles muito crédulos e ingênuos, não se deixem mais enganar ou ludibriar com facilidade.