Ilícito



Mais de 300 madeireiras que atuam de forma irregular em Macapá e Santana – segundo levantamento feito pelo MP-AP – podem fechar portas logo, logo.
Ação Civil Pública nesse sentido já está na lupa da justiça.