“Retrocesso”



Por nota nas redes, prefeito Clécio critica saída dos médicos cubanos, argumentando que “é um retrocesso porque fragiliza a universalidade do direito à saúde, principalmente da população mais carente”.