Recluso



No Brasil, ainda se explicando sobre possível estupro, Neymar recusa convite do presidente Gianni Infantino (Fifa) e não vai ao Itaquera ver a seleção golear o Perú (5 a 0).