Braços cruzados


Novembro chega a galope e com ele um reajuste brutal na tarifa de energia elétrica —43% dessa vez.
E a bancada parlamentar, em Brasília, não move uma palha sequer pra conter ímpeto da Aneel, de onde parte o brutal ataque ao bolso de consumidores.
Coisa pra eleitorado se sentir traído, mas nem tanto, pelo andar da carruagem.