Pouco caso



Para o advogado Marco Antônio, que assessora juridicamente o Ijoma, pacientes quase sempre têm de recorrer à Justiça por um atendimento de urgência.
“Mas sem cumprimento de mando por quem de direito, apesar de multas e até ameaça de prisão”, lamenta.